Internacional

Memorial da II Guerra vandalizado em França

Macron considerou não ter palavras para descrever o ato de vandalismo contra a homenagem a 642 pessoas queimadas vivas pelos nazis na igreja da aldeia.

O flagelo dos graffiti atingiu a aldeia francesa de Oradour-sur-Glane. A 10 de Junho de 1940, uma divisão das SS reuniu 642 habitantes, incluindo 500 mulheres e crianças, da aldeia na igreja, trancou as portas e pegou fogo ao edifício, provocando a morte de todos os ocupantes. Desde então o local ficou intocado para recordar aquele que é considerado um dos atos mais infames da ocupação nazi de França.

Num letreiro à entrada do memorial (onde se lia ‘Aldeia Mártir’, a palavra ‘Mártir’ foi riscada e substituída por ‘Mentirosa’. Emmanuel Macron considerou não ter palavras para descrever o ato de vandalismo que atingiu aquele pedaço de história da Segunda Guerra Mundial.