Internacional

A corrida ao lugar de Shinzo Abe

Os lealistas ao primeiro-ministro japonês, que renunciou por doença crónica, terão de enfrentar o popular ex-ministro da Defesa, Shigeru Ishiba, ainda mais conservador.

Após o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, anunciar que ia renunciar ao seu cargo devido a uma colite ulcerosa, uma doença crónica de que sofre há anos, o seu partido, o Partido Liberal Democrata (PLD), está em polvorosa à procura de um sucessor. Os lealistas a Abe terão de se confrontar com o antigo ministro da Defesa Shigeru Ishiba, um dos raros críticos do primeiro-ministro dentro do PLD, considerado ainda mais conservador do que Abe.

Ainda não se sabe exatamente qual será o terreno da disputa pelo PLD, que governou o Japão durante a maior parte dos últimos 65 anos - certo é que quem ganhar quase de certeza será primeiro-ministro. A liderança do PLD deverá reunir esta terça-feira, podendo a decisão passar por apenas um voto entre os dirigentes eleitos do partido, devido à urgência, ou se o direito de voto será estendido aos militantes.

Entretanto, Yoshihide Suga, um dos principais responsáveis do programa do PDL, considerado o sucessor desejado por Abe, já assumiu a sua candidatura, avançou este domingo a agência Kyodo. Já o Sankei avançou que Ishiba irá avançar na segunda-feira. Este parte com a desvantagem de ser impopular dentro do partido, com a vantagem de ser o mais popular entre o público: é apoiado por 34,3% dos japoneses, segundo uma sondagem da Kyodo, que dá a Suga 14,3%.