Economia

INE confirma queda histórica do PIB

Queda é justificada, em parte, pela quebra da procura interna.

O Instituto Nacional de Estatística confirmou esta segunda-feira a queda histórica de 16,3% do Produto Interno Bruto (PIB) no segundo trimestre deste ano. “A forte contração da atividade económica refletiu o impacto da pandemia covid-19 que se fez sentir de forma mais intensa nos primeiros dois meses do segundo trimestre”, explica o INE.

Segundo o gabinete de estatística, esta recessão história é, em parte, explicada pela quebra da procura interna, nomeadamente do consumo privado. “A procura interna apresentou um contributo negativo para a variação homóloga do PIB consideravelmente mais acentuado que o observado no trimestre anterior (passando de -1,2 para -11,9 pontos percentuais (p.p.)), refletindo a expressiva contração do consumo privado e do investimento”, diz o INE.

Já o contributo da procura externa líquida foi mais negativo neste segundo trimestre (passando de -1,1 para -4,4 p.p.), tendo sido observada uma diminuição mais acentuada das exportações de bens e serviços (-39,5%) que nas importações de bens e serviços (-29,9%), principalmente justificada com a quase interrupção do turismo de não residentes.

O INE avança ainda que o investimento registou uma descida de 10,8%.