Economia

Despesas das famílias diminuíram 15% no segundo trimestre

Quebra deve-se sobretudo à redução do poder de compra de bens duradouros.

As despesas das famílias residentes em Portugal diminuíram 15% no segundo trimestre do ano relativamente ao mesmo período de 2019, devido sobretudo à quebra na compra de bens duradouros, divulgou o Instituto Nacional de Estatística (INE).

"A componente de bens não duradouros e serviços também diminuiu de forma expressiva, passando de uma taxa de variação homóloga de -0,6% no 1º trimestre para -13,6%, verificando-se, no entanto, um crescimento mais acentuado na componente de bens alimentares no 1.º e 2.º trimestre", pode ainda ler-se no documento do INE.

Já em relação ao primeiro trimestre, o consumo das famílias diminuiu 14%, "verificando-se uma variação em cadeia de -23,8% das despesas em bens duradouros (sobretudo de veículos automóveis), tendo as despesas em bens não duradouros e serviços diminuído 13,0% (taxas de -8,4% e -2,3% no 1º trimestre, respetivamente)".