Sociedade

Avante. Moradores organizam protesto e há quem pense em sair de casa

Vários estabelecimentos já decidiram encerrar durante o fim de semana.

Sobe de tom o descontentamento de alguns moradores e lojistas da Amora com a realização do Avante! em tempo de pandemia. Um grupo de moradores, que se diz apartidário, está a organizar uma marcha lenta para a próxima quinta-feira contra a organização do evento. A lista de estabelecimentos do concelho do Seixal que vão estar encerrados entre a próxima sexta e segunda-feira também tem estado a crescer, com dezenas de comerciantes a optar por fechar portas naquele que costuma ser um momento de maior movimento nas ruas da cidade. Como o SOL noticiou no último fim de semana, vários estabelecimentos próximos do recinto tomaram a decisão na última semana, entre os quais o café Serpente, um dos pontos de passagem habituais rumo à festa. Moradores ouvidos nos últimos dias também equacionam ir para fora durante o fim de semana para não se cruzarem com os participantes do evento. Para já, a convocação para o protesto intitulado “Concelho do Seixal Sim, Covid Não” tem sido feita através das redes sociais. “O resultado dos moldes em que o evento é organizado, bem como a experiência de comportamentos de anos anteriores, não descansa os habitantes do concelho e tem se traduzido numa contestação que têm subido de tom, à medida em que a data da sua concretização se aproxima, das dezenas de estabelecimentos que irão encerrar, às muitas dezenas de pessoas que escolheram esses dias para ir de férias, é possível afirmar que a maioria da população não se sente este ano confortável, com o perigo para a saúde pública, que algo desta magnitude comporta”, lê-se na mensagem que convoca a marcha lenta de automóvel para a próxima quinta-feira pelas 18h, com início no Muxito e fim na Ponte da Fraternidade. A realização do evento está também a aquecer a política local. Segundo o Diário do Distrito, o PSD Seixal e a Juventude Popular colocaram dois cartazes em Corroios e na Amora com críticas à realização do Avante!, que também é contestado pelo PS Seixal. O descontentamento continua a ser verbalizado por cidadãos anónimos. Uma petição lançada nas últimas semanas contra a realização do Avante! passou ontem a barreira das 40 mil assinaturas e entretanto surgiu uma nova iniciativa mais radical a exigir quarentena obrigatória para todos os participantes, uma petição que ontem juntava 500 assinaturas. Até esta segunda-feira foram confirmados 945 casos de covid-19 no concelho do Seixal, que não foi dos mais afetados na região de Lisboa e Vale do Tejo, onde o epicentro da covid-19 se situou na margem Norte do Tejo, em particular nos subúrbios da grande Lisboa onde os casos abrandaram nas últimas semanas. Lisboa, com 5087 casos confirmados desde o início da epidemia, mantém-se o concelho que até hoje registou mais casos de covid-19. Segue-se Sintra, com 4279 casos desde março.