Sociedade

Marta Temido. "Apelamos a que todos descarreguem a app StayAway Covid"

No entanto, a ministra da Saúde alerta que todas as informações dadas pela aplicação devem der lidas com "prudência".

Foi apresentada, esta terça-feira, no Instituto Superior de Engenharia do Porto, a aplicação móvel StayAway Covid, que permite rastrear de forma anónima, através de Bluetooth, se os utilizadores estiveram nos últimos 14 dias no mesmo local que alguém infetado. Na apresentação marcou presença a ministra da Saúde, Marta Temido, que apelou aos portugueses para que descarreguem a app.

A governante destacou, durante a sua intervenção, que esta é uma "ferramenta essencial, voluntária, confidencial e segura”, na qual os cidadãos podem “confiar" e que todos devem descarregar num “exercício de responsabilidade e solidariedade".

No entanto, Marta Temido alerta que todas as informações dadas pela aplicação devem der lidas com "prudência".

"O alerta emitido por esta aplicação deve ser lido com prudência. A exposição não significa infeção. Apelamos a que todos descarreguem a aplicação, mas que quem o faça e receba o alerta de exposição, tenha a tranquilidade suficiente para fazer os contactos telefónicos necessários, nomeadamente, com o SNS24 e, também com a tranquilidade necessária, aguardar depois o encaminhamento do sistema de saúde", realçou a ministra, que enalteceu ainda a “capacidade científica” do nosso país e das “nossas escolas”.

Recorde-se que a app é de caráter voluntário. O decreto publicado em diário da República a 11 de agosto nomeia a DGS como responsável pelo tratamento dos dados pessoais que são apagados após 14 dias. O decreto diz ainda que a app "deve respeitar a legislação europeia e nacional aplicável à proteção de dados pessoais" e regula a intervenção do médico que introduz no sistema as informações do doente.

Além da ministra da Saúde, marcaram presença na apresentação o primeiro-ministro e o ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior.