Internacional

Afro-americano morre depois de polícias o asfixiarem na via pública

Veja aqui o vídeo.

Vídeos de um afro-americano que morreu em março, depois de sete dias ligado ao suporte de vida devido a asfixia, foram divulgados, esta quarta-feira, numa conferência de imprensa.

Um grupo de polícias enfiou um capuz  na cabeça de Daniel Prude, que corria nu nas ruas de Rochester, uma cidade a oeste de Nova Iorque, e pressionou a sua cara contra o chão durante dois minutos.

O homem morreu a 20 de março, porém, a sua família realizou uma conferência de imprensa e divulgou as imagens, que foram captadas pelos uniformes dos agentes. A família terá obtido as imagens, e relatórios escritos, depois de ter feito um requerimento de acesso a registos públicos.

Os vídeos mostram Daniel Prude obedecer e a deitar-se no chão quando os polícias lhe dizem para fazê-lo. O capuz é designado de ‘spit hood’ e serve para os detidos não cuspirem ou morderem os agentes.

A morte do afro-americano foi considerada um homicídio causado por “complicações de asfixia em contexto de constrangimento físico”. A polícia terá sido chamada ao local porque o irmão da vítima ligou para as autoridades informado que o irmão tinha saído de casa e que sofria de problemas mentais.

Atenção: As imagens podem ferir as suscetibilidades dos leitores mais sensíveis.