Sociedade

Marta Temido e Ana Mendes Godinho ouvidas no Parlamento acerca dos surtos em lares

O CDS pediu ainda que também a diretora-geral da Saúde fosse ouvida.

As ministras Marta Temido e Ana Mendes Godinho vão ser ouvidas pelo Parlamento sobre surtos de covid-19 em lares, depois de a Comissão de Trabalho e Segurança Social ter aprovado, por unanimidade, requerimentos do PSD, CDS-PP e PAN nesse sentido.

No seu requerimento, o PSD defende que "a incapacidade que o Governo tem revelado em prevenir e combater recorrentemente a ocorrência de surtos em lares é gravíssima" e sublinha que "a desresponsabilização e a desvalorização das gravíssimas ocorrências que culminaram na morte de 18 pessoas num lar de Reguengos de Monsaraz é politicamente incompreensível e humanamente inaceitável".

Os sociais-democratas consideram, por isso, “essencial” que as ministras da Saúde e do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social sejam ouvidas e que possam dar a conhecer as medidas e ações para o setor.

Já no seu requerimento, o CDS pede ainda que além destas governantes seja também ouvida no Parlamento Graça Freitas, diretora-geral da Saúde.

O PAN destaca que é necessário "o apuramento de responsabilidades e do que falhou em Reguengos, não obstante a investigação do Ministério Público, em termos de cuidados de saúde, bem como a nível de fiscalização da Segurança Social".