Desporto

Croácia. Histórias Confusas

Primeiro Croácia, depois Jugoslávia; em seguida outra vez Croácia dentro da Jugoslávia até à Croácia que joga hoje no Porto contra Portugal.

Os registos garantem que o primeiro jogo de futebol disputado em território croata colocou frente a frente um grupo de jovens curiosos e uma equipa formada pelos ingleses que trabalhavam na Oak Extract Company, de Rijeka. A compita teve lugar no ano de 1880, em Zupanja, uma cidade do leste da região da Eslavónia na margem do rio Sava que serve, hoje em dia, de fronteira com a Bósnia. Nogomet – eis o nome com que se popularizou o desporto por todo o país que era, na altura, um reino que fazia parte do império Áustro-Húngaro.

Rijeka, o principal porto da Croácia, tinha um estatuto político especial dentro da confusão que sempre marcou a história dos Balcãs: chamavam-lhe Corpus Separatum e possuía uma autonomia bastante razoável em relação aos reinos vizinhos, como a Dalmácia, por exemplo. Em 1907, já era uma cidade de futebol e os ingleses aí residentes trataram de fundar os primeiros clubes e traduzir e divulgar as leis do jogo. Por seu lado, os croatas não quiseram ficar atrás._E assim nasceram o HASK – Hrvatski Akademski Sportski Klub –, e o PNISK – Nogometni Klub Zagreb –, ambos em Zagreb, em 1903, na peugada do Backa, fundado em Subotica, na Hungria, no ano de 1901, o clube mais antigo do país. A pouco e pouco o futebol tornava-se uma paixão tal como acontecia um pouco por toda a Europa. O caminho era irreversível. Em 1906, finalmente, o HASK e o PNISK encontraram-se frente a frente. Um empate simpático (1-1) selou a rivalidade inicial. As portas abriram-se para que surgissem outros clubes: Slavija Trsat (1905), Concordia Zagreb (1906), Segesta Sisak (1906), Croatia Zagreb (1907), Hajduk Split (1911), Gradjanski Zagreb (1911). A febre espalhara-se.

Leia o artigo na íntegra na edição impressa do SOL. Agora também pode receber o jornal em casa ou subscrever a nossa assinatura digital.