Internacional

Moscovo acusa Alemanha de "acusações infundadas e ultimatos" no caso de Navalny

Moscovo diz que Alemanha está a usar o caso de Navalny para "desacreditar a Rússia no cenário internacional".

Moscovo acusou, esta quarta-feira, a Alemanha de acusações “infundadas" e protestou contra os "ultimatos” do país sobre o envenenamento de Alexei Navalny.

Junto do embaixador alemão em Moscovo, a Rússia acusou o Governo alemão de usar o caso do principal opositor de Putin para "desacreditar a Rússia no cenário internacional".

O Ministério dos Negócios Estrangeiros russo deixou ainda um aviso ao embaixador alemão. Se este recusar a transmitir a Berlim o recado de Moscovo, o gesto será tido como uma "provocação grosseira e hostil".

Recorde-se que, esta terça-feira, os ministros dos Negócios Estrangeiros da Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Japão e Reino Unido emitiram um comunicado conjunto para anunciar que estão "unidos na condenação, nos mais fortes termos, do envenenamento confirmado de Alexey Navalny", já depois de o Governo alemão confirmar que o opositor de Putin foi vítima de um ataque com um agente nervoso do tipo Novichok.

"Qualquer utilização de armas químicas, em qualquer lugar, a qualquer momento, por qualquer pessoa e em qualquer circunstância, é inaceitável e contrária às normas internacionais", defenderam os governantes, numa declaração emitida pelos Estados Unidos, que preside ao G7 este ano.

A Rússia continua a defender que os médicos russos não detetaram nenhum vestígio de veneno no corpo de Navalny.

Recorde-se que o líder da oposição russa sentiu-se mal durante uma viagem de avião no passado dia 20, tendo este episódio resultado no internamento de Navalny em Omsk, na Sibéria. Apesar de uma primeira resposta negativa, os médicos alemães autorizaram a sua transferência para um hospital alemão.