Economia

João Leão. “Deve haver margem para o aumento do salário mínimo com significado”

Em entrevista à RTP, ministro das Finanças falou sobre a recuperação económica, o aumento do salário mínimo e sobre o Novo Banco. Quanto à crise económica, João Leão defende que “já batemos no fundo” mas que já há sinais de recuperação. Taxa de desemprego ficará "perto dos 9%, 10%".

O ministro das Finanças, João Leão, defende que “este ano a taxa de desemprego dificilmente ficará acima de 10%”. Em entrevista à RT3, o sucessor de Centeno explica que “já batemos no fundo” no que diz respeito à pandemia, garantindo que o “segundo trimestre foi o pior trimestre da economia, em que caiu 16%”.

Apesar de garantir que têm existido alguns indicadores de recuperação – como os pagamentos multibanco, as exportações ou as receitas do IRS – João Leão não tem dúvidas: “a economia vai depender muito da evolução da pandemia”.

“O IRS que vai sair no mês de agosto, depois de quedas muito acentuadas desde abril, em agosto, teve pela primeira vez um aumento face ao ano anterior. Teve um aumento de 7% face ao ano anterior, mas corrigindo efeitos extraordinários, o IRS já pela primeira vez aumentou face ao ano anterior 1%”, explicou João Leão.

Mas no que diz respeito ao desemprego, o ministro das Finanças avança que o pior ainda não passou: “Ainda vamos ter algum período de desemprego elevado, que pode chegar a valores próximos dos 9%, 10% este ano. Este ano, dificilmente ficará acima dos 10%”, avança.

 

Orçamento do Estado 

Questionado sobre como decorrem as reuniões com os partidos para o Orçamento do Estado, João Leão garante que “estão a correr bastante bem”, acrescentado acreditar que o orçamento “vai ser aprovado”.

O ministro das Finanças avançou ainda que este será um orçamento que terá “uma preocupação acrescida com a crise económica e social”, com o objetivo de “não acrescentar mais crise à crise”. “Tem de ajudar pessoas que perderam rendimentos com a crise para que no próximo ano a economia recupere o mais possível”, disse o governante, que defende que “questões como a estabilidade fiscal também são muito importantes”.

A garantia foi dada, tal como já tinha dito: "Não tencionamos aumentar impostos, ainda esta semana foi aprovada a redução do iva da eletricidade"

João Leão avançou ainda que o investimento público em 2021 vai aumentar acima de 20%.

 

E o salário mínimo? 

Na entrevista, o ministro das Finanças garantiu que a intenção do Governo “é prosseguir com o aumento dos salários no próximo ano”. Sem adiantar muito sobre o assunto, João Leão defendeu que o diálogo sobre este assunto terá “de ser feito em concertação social, mas a intenção é prosseguir com o aumento do salário mínimo”, disse. “Deve haver margem para aumento do salário mínimo nacional em 2021”, acrescentou.

Quanto à dívida pública – que Portugal tem a terceira mais alta da zona euro – João Leão avançou que “vai aumentar para cerca de 134% este ano”.

 

Novo Banco 

Quanto à auditoria do Novo Banco, João Leão explica que o Governo ainda está “a ler e a avaliar os resultados da auditoria”. E não tem dúvidas: “A gestão do Novo Banco deve concentrar-se na valorização dos seus ativos”.

Questionado sobre os valores previstos no Orçamento do Estado para o Novo Banco, o ministro das Finanças lembrou que a parte final do documento ainda não foi discutida em Conselho de Ministros, não revelando qual a verba. “Tem de se perceber qual a avaliação que se faz, falar com supervisor, é prematuro partir já com valores. Temos que perceber a auditoria, fazer uma análise com responsabilidade”.