Cultura

Óscares exigem representatividade

Mulheres, pessoas com deficiência, minorias raciais e pessoas LGBTQ+ terão de estar representados.

As novas regras entram em vigor apenas em 2024 mas auguram novos tempos para uma Hollywood que dificilmente poderá continuar a fechar os olhos às reivindicações de minorias e não só por uma verdadeira representatividade no cinema.

A partir da edição de 2024, os candidatos a Melhor Filme deverão cumprir uma série de critérios obrigatórios para serem elegíveis: mulheres, pessoas com deficiência, minorias raciais e pessoas LGBTQ+ terão de estar representados tanto nos elencos como nas equipas técnicas, artísticas e de produção.