Politica

Bloco exige nova auditoria ao NB para aprovar Orçamento

Para a líder bloquista, a auditoria terá de ser desenvolvida por instituições públicas e, dá como exemplo, o Banco de Portugal ou o Tribunal de Contas. 

O Bloco de Esquerda só aprova o Orçamento de Estado para o próximo ano se for feita uma nova auditoria ao Novo Banco e se acabarem as transferências financeiras para a instituição liderada por António Ramalho.

“Não chega dizer que não queremos mais um tostão para o Novo Banco. Temos de ir mais longe. Temos de saber o que aconteceu e temos de denunciar o contrato que o Estado português fez com a Lone Star e que serve para este assalto permanente aos cofres públicos”, afirmou Catarina Martins.

Para a líder bloquista, a auditoria terá de ser desenvolvida por instituições públicas e, dá como exemplo, o Banco de Portugal ou o Tribunal. Esta é a solução encontrada, no seu entender, para evitar incompatibilidades com as grandes auditoras privadas, nomeadamente a Deloitte.

Recorde-se que a auditoria da Deloitte aos atos de gestão do BES/Novo Banco é referente ao período entre 2000 e 2018 (ou seja, abarcando o período quer antes quer depois da resolução do BES e criação do Novo Banco). Em causa estão perdas superiores a quatro mil milhões de euros.

Catarina Martins defendeu ainda necessidade de o poder político se “libertar do sistema financeiro” e mudar as prioridades de investimento.