Internacional

“Vai ficar mais difícil. Em outubro e novembro veremos uma mortalidade maior", avisa OMS

Nas últimas semanas, o número de casos de covid-19 tem vindo a aumentar de forma acentuada. Só na última sexta-feira, mais de 51 mil novos casos da doença foram notificados nos países da OMS Europa.

O diretor regional da Organização Mundial da Saúde (OMS) para a Europa afirmou que outubro e novembro serão “mais duros”, estimando que haverá mais mortes durante esses dois meses.

“Vai ficar mais difícil. Em outubro e novembro veremos uma mortalidade maior", disse, em entrevista à agência France-Presse (AFP), explicando que o aumento do número de mortes se deve ao crescimento em função de um maior número de casos na Europa.

“Estamos numa altura em que os países não querem ouvir este tipo de más notícias, e eu compreendo", afirmou, lembrando que a epidemia vai “parar, num momento ou noutro”.

Hans Kluge afirmou ainda acerca do desenvolvimento da vacina para a covid-19. "Eu ouço o tempo todo: 'a vacina vai acabar com a epidemia'. Claro que não!", disse.

"Não sabemos nem se a vacina será eficaz em todas as camadas da população. Alguns sinais de que estamos a receber é que será eficaz para uns, mas não para outros", sublinhou o médico.

A OMS reúne-se, esta segunda-feira e amanhã, com os Estados-membros para discutir a resposta à pandemia e acordar uma resposta a cinco anos.

Nas últimas semanas, o número de casos de covid-19 tem vindo a aumentar de forma acentuada. Só na última sexta-feira, mais de 51 mil novos casos da doença foram notificados nos países da OMS Europa, um número mais elevado do que os picos registados em abril. Já o número de óbitos mantém-se, segundo a organização.

Desde o início da pandemia já foram diagnosticadas com covid-19 mais de 28,8 milhões de pessoas e mais de 921 mil terão morrido devido a complicações relacionadas com a doença.