Economia

De João Araújo, ex-advogado de Sócrates. Octávio Ribeiro abdica de indemnização

Octávio Ribeiro decidiu colocar um ponto final no processo, uma vez que, segundo apurou o SOL, considera que este processo se tratava de um diferendo profissional, e não se justificava recorrer aos bens que Araújo tenha, eventualmente, deixado aos seus herdeiros.

DR  

O diretor do Correio da Manhã, Octávio Ribeiro, decidiu abdicar da indemnização a que o tribunal de 1.ª instância de Lisboa condenou João Araújo, ex-advogado de José Sócrates, falecido no passado mês de julho. Recorde-se que Araújo manteve um diferendo com o jornal e os seus jornalistas, e havia sido condenado em 2019 a pagar 15 mil euros a Otávio Ribeiro. A decisão mantinha-se pendente depois de Araújo ter recorrido para o Tribunal da Relação de Lisboa. Mas, agora, após a morte de João Araújo, e aquando da necessária habilitação de herdeiros, Octávio Ribeiro decidiu colocar um ponto final no processo, uma vez que, segundo apurou o SOL, considera que este processo se tratava de um diferendo profissional, e não se justificava recorrer aos bens que Araújo tenha, eventualmente, deixado aos seus herdeiros.

O SOL sabe que a jornalista do Correio da Manhã e da CMTV Tânia Laranjo deverá seguir o exemplo do seu diretor e também prescindir da indemnização que o tribunal de 1.ª instância também lhe reconheceu como direito sobre o causídico. Araújo teria de pagar à jornalista uma indemnização  de oito mil euros, depois de ter sido condenado pelos crimes de difamação e injúria agravadas (decisão confirmada no final do ano passado pelo Tribunal da Relação de Lisboa).