Sociedade

Militares do Exército condecorados por serviços prestados no contexto da pandemia

“Não sabemos se o comportamento dos portugueses vai fazer diminuir o número de infetados ou se viveremos situações de aflição no território nacional, mas temos uma certeza: a presença do exercito e seu empenho", sublinhou ministro da Defesa.

O ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho, condecorou, esta terça-feira, 10 militares do Exército, simbolicamente, pelos serviços prestados no contexto da pandemia de covid-19, no salão nobre do ministério, no Restelo, Lisboa.

"Uma palavra de profundo agradecimento pelo grande trabalho feito pelos condecorados e pelo Exército, no âmbito do combate à pandemia. Foi um extraordinário desempenho como um todo em circunstâncias inopinadas", disse o governante na cerimónia, que decorreu no salão nobre do ministério, no Restelo, em Lisboa.

"O Exército esteve presente em todo o lado do país, em escolas, lares, unidades médicas e continua", sublinhou Gomes Cravinho, lembrando que o momento atual é de grande incerteza. “Não sabemos se a incidência geográfica voltará a ser muito focalizada. Não sabemos se o comportamento dos portugueses vai fazer diminuir o número de infetados ou se viveremos situações de aflição no território nacional, mas temos uma certeza: a presença do exercito e seu empenho", concluiu.

Foram agraciados com a medalha de Defesa Nacional de 1.ª classe a Coronel Margarida Almeida, diretora do Laboratório Militar de Produtos Químicos e Farmacêuticos, e com as de 2.ª classe o tenente-coronel António João e os majores Milton Pais e Wilson Antunes, todos da Unidade Militar Laboratorial de Defesa Biológica e Química.

O aspirante a oficial Hugo Graça, chefe de equipa do Regimento de Transportes, recebeu a distinção de 3.ª classe.

Com o grau de 4.ª classe foram reconhecidos o sargento-chefe Fernando Pereira, o sargento-ajudante Vítor Jorge, o 1.º sargento António Leitão, o 1.ª cabo João Mota e o soldado Mário Fernandes.