Internacional

Criança riscou carro com bicicleta mas deixou bilhete de desculpas e ofereceu-se para pagar: "O bem vai e volta"

"Na hora eu pensei: vou parar de andar bicicleta e pronto, acabou minha vida de ciclista. Eu fiquei anos juntando um pouquinho [de dinheiro] e daí tudo isso ia ser despejado em uma coisinha só. Fiquei preocupado, mas o bem sempre vai e volta, vai e volta, vai e volta", disse o menino.

Benício Hoffmann, tem apenas 7 anos, mas teve um gesto que muitos adultos provavelmente não teriam. Enquanto andava com o pai de bicicleta, em Curitiba, no Brasil, Benício desequilibrou-se e bateu num carro. Preocupado, o menino deixou um bilhete ao dono a pedir desculpas e disponibilizou-se para pagar os estragos.

Ao encontrar o bilhete, este domingo, Marcelo Martins, dono do carro, não ficou indiferente e decidiu partilhar o que tinha acontecido nas redes sociais numa publicação que se tornou viral.

“Como ficar bravo com essa criança”, questionou na publicação, onde partilhou uma fotografia do bilhete.

Em declarações ao G1, o menino contou que depois do incidente apressou-se a voltar a casa e a pensar numa forma de pagar os estragos causados com o seu próprio dinheiro.

"Na hora eu pensei: vou parar de andar bicicleta e pronto, acabou minha vida de ciclista. Eu fiquei anos juntando um pouquinho [de dinheiro] e daí tudo isso ia ser despejado em uma coisinha só. Fiquei preocupado, mas o bem sempre vai e volta, vai e volta, vai e volta", disse Benício.

Marcel Weiss Hoffmann, pai de Benício, disse que o filho quis usar o dinheiro que amealhou em ocasiões especiais para o sucedido, mas estava receoso de que não chegasse.

"Ele ficou muito incomodado, ficou perguntando se ia custar caro. Ele até juntou um trocadinho dele e ficou se lamentando que o dinheirinho dele não ia dar para pagar", contou, lembrando que o filho ficou muito angustiado após arranhar o carro.

Felizmente para Benício, o seu gesto foi suficiente e o dono do veículo enviou uma mensagem no próprio dia a dizer que não era preciso pagar.

"A gente acha que alguém que bate no seu carro pode sair correndo, ainda mais nesta idade, mas eu achei um gesto de uma doçura, de uma honestidade grande. Eu procurei de todos os lados, meu carro estava meio sujo e nem reparei. Se não fosse o bilhete eu nem tinha notado", disse Marcelo Martins em entrevista à estação RPC.

"Para esse momento, em plena pandemia, isso tem que servir para fazer o bem. Essa sensação depois é ótima. A gente já está com pouca água, com coronavírus, tem bandidos roubando, tudo fechado, melhorar não piorar. A situação já está quase impossível. A ação do Marcelo [dono do carro] também foi boa por não ter pedido o pagamento", disse o menino, que se mostrou surpreendido com a repercussão do seu gesto.