Internacional

China revolta-se contra EUA: "Qual é a causa dos sete milhões de casos e mais de 200.000 mortes nos Estados Unidos?"

As palavras do embaixador chinês vieram em resposta às declarações de Kelly Craft, que voltou a repetir as acusações feitas pelo presidente Donald Trump, esta terça-feira, na Assembleia Geral da ONU. 

O governo chinês revoltou-se, esta quinta-feira, durante uma reunião por videoconferência do Conselho de Segurança da ONU, contra as acusações dos Estados Unidos sobre serem responsáveis pela pandemia mundial provocada pelo novo coronavírus e questionou o governo norte-americano sobre serem o país com maior número de vítimas mortais relacionadas com covid-19. 

"Já chega! Já criaram problemas suficientes no mundo!", acusou Zhang Jun, embaixador chinês na ONU, dirigindo-se à embaixadora norte-americana Kelly Craft.  "Antes de apontar o dedo aos outros, qual é a causa dos sete milhões de casos de infeção e mais de 200.000 mortes nos Estados Unidos?", questionou o embaixador chinês, acusando ainda o governo liderado de Donald Trump de  "mentir" e "enganar".  Zhang Jun afirmou ainda que culpar os outros pelo que está a acontecer não irá resolver nada. "Parem de politizar o vírus (...) uma grande potência deve comportar-me como uma grande potência", afirmou. 

As palavras do embaixador chinês vieram em resposta às declarações de Kelly Craft, que voltou a repetir as acusações feitas pelo presidente Donald Trump, esta terça-feira, na Assembleia Geral da ONU, contra o Governo chinês. "A decisão do Partido Comunista Chinês de ocultar a origem deste vírus, de minimizar o perigo e de suprimir a cooperação científica transformou uma epidemia local numa pandemia global", afirmou. "Mais importante ainda, essas decisões já custaram centenas de milhares de vidas em todo o mundo. Centenas de milhares", acusou ainda Craft, que acabou por desaparecer depois do discurso de Zhang Jun.