Politica

Quase metade dos militantes do PCP têm mais de 64 anos

Partido tem quase 50 mil militantes. Só 11,4% têm menos de 40 anos, revela projeto de resolução política.

O PCP perdeu mais de quatro mil militantes nos últimos quatro anos. O partido liderado por Jerónimo de Sousa tem 49 960 militantes, ou seja, menos 4320 do que em 2016. O projeto de resolução política que vai ser discutido no 21.o congresso do partido, em novembro, revela ainda que “nos últimos anos foram recrutados 3245 novos militantes, dos quais 67% tinham menos de 50 anos quando aderiram ao partido”.

Os comunistas explicam esta redução com “o facto de o número de recrutamentos não ter compensado o número de camaradas que deixaram de contar como membros do partido, principalmente em consequência de falecimentos”.

O documento, divulgado esta quinta feira no jornal Avante!, refere que “a composição social não teve alterações significativas, registando-se uma larga maioria de operários e empregados”. 11,4% têm menos de 40 anos, 39,5% têm entre 41 e 64 anos e 49% mais de 64 anos. O número de mulheres “traduz novamente uma subida”.

O projeto de resolução política refere também que “o número de funcionários do partido é de mais de 300, incluindo reformados no ativo”. O_PCP pretende manter “o esforço para a renovação e o rejuvenescimento do quadro de funcionários do Partido, nomeadamente camaradas oriundos de células de empresa e de locais de trabalho. Este objetivo tem sido levado a cabo, apesar das dificuldades financeiras do partido”.

Uma das alterações na organização interna do PCP pode passar por uma “ligeira redução” no número de membros do comité central. As teses revelam ainda que este órgão “deverá manter uma ampla maioria de operários e empregados, com uma forte componente operária”. O congresso do PCP realiza-se nos dias 27, 28 e 29 de novembro, em Loures, com o lema “Organizar, Lutar, Avançar – Democracia e Socialismo”.