Internacional

Boris Johnson pede desculpa após engano com restrições no nordeste de Inglaterra

Líder adjunta do Partido Trabalhista acusa PM de "incompetência grave".

O primeiro-ministro britânico pediu desculpa, esta terça-feira, por se ter enganado quando referiu quais as restrições em vigor no nordeste de Inglaterra para travar a pandemia covid-19. O engano de Boris Johnson só veio intensificar as críticas à falta de clareza das regras.

"Peço desculpa, eu enganei-me hoje", escreveu no Twitter, esclarecendo que afinal naquela região as pessoas estão proibidas de socializar com pessoas de agregados familiares que não o seu em espaços interiores – incluindo a própria casa, bares e restaurantes – e que devem evitar fazê-lo em espaços ao ar livre.

"Isto é essencial para controlar a transmissão do coronavírus e manter a segurança de todos", acrescentou.

Recorde-se que este pedido de desculpa e correção de informação, surge poucas horas depois de, durante uma conferência de imprensa em Exeter, no sudoeste de Inglaterra, o primeiro-ministro ter dado uma resposta confusa sobre as regras impostas no nordeste do país.

"No nordeste e em outras áreas onde medidas adicionais foram introduzidas, devem seguir a orientação das autoridades locais, mas são seis numa casa, seis na restauração, mas pelo que entendi, não seis fora", disse na conferencia de imprensa.

Boris Johnson referia-se à regra que proíbe ajuntamentos de mais de seis pessoas em espaços interiores ou ao ar livre, mas que permite a socialização de pessoas de agregados familiares diferentes, no entanto esta regra aplica-se em grande parte do território, mas não ao nordeste de Inglaterra.

A líder adjunta do Partido Trabalhista, Angela Rayner, reagiu logo ao engano do chefe de Governo e considerou o lapso um sinal de "incompetência grave".

"Estas novas restrições vão entrar em vigor em grandes partes do país esta noite. O Governo precisa de saber o que faz", sublinhou.