Sociedade

Recém-nascido abandonado no lixo "não duraria mais de 20 minutos"

Profissional do INEM faz depoimento emocionado no julgamento da mãe que deixou o seu bebé, acabado de nascer, num ecoponto na zona de Santa Apolónia, em Lisboa.

O técnico do INEM que socorreu o recém-nascido abandonado num ecoponto em Lisboa, em novembro de 2019, afirmou, esta quarta-feira, em tribunal, que o bebé "não duraria mais de 20 minutos" sem assistência médica.

Luís Nunes recordou, num depoimento emocionado, dia em que foi desviado – quando ia a caminho de uma outra ocorrência – para a zona junto a discoteca Lux, em Santa Apolónia, onde um bebé tinha sido deixado, soube-se mais tarde, por uma sem-abrigo de 22 anos.

"Tinha uma hemorragia ativa no cordão umbilical, a ventilação não estava muito estável e estava em hipotermia", revelou hoje durante o julgamento da mãe do bebé, acusada de tentativa de homicídio.

Depois de ter feito um garrote com uma luva em torno do cordão umbilical aqueceu o bebé e administrou-lhe oxigénio. "Pronto, já cá estás!", lembra-se de ter dito, após o bebé ter começado a reagir. "Quando cheguei estava pouquíssimo reativo", acrescentou.

O julgamento, que decorre no Tribunal Central Criminal de Lisboa, tem nova sessão a 7 de outubro.

Recorde-se que a arguida, mãe do bebé, está em prisão preventiva desde 8 de novembro. Na primeira sessão do julgamento, afirmou que tinha deixado o bebé naquele local para que fosse encontrado.