Sociedade

Mulher forjava atestados médicos para faltar ao trabalho em Póvoa de Lanhoso

Atestados eram passados em nome de vários médicos.

A GNR constituiu arguida uma mulher, de 45 anos, por falsificar atestados médicos, na localidade de Amparo, Póvoa de Lanhoso.

Em comunicado, a força de segurança revela que, no âmbito de uma investigação, os militares apuraram que a suspeita forjava atestados médicos para justificar, junto das entidades patronais, as suas faltas ao trabalho.

“Esta situação estava a causar instabilidade no seio da comunidade médica do concelho de Póvoa de Lanhoso, uma vez que os atestados eram passados em nome de vários médicos”, revela a GNR.

Foi realizada uma busca domiciliária, onde foram apreendidos artigos informáticos, nomeadamente dois computadores portáteis, um telemóvel, uma impressora e vários atestados médicos falsificados.

A mulher foi constituída arguida, e os factos remetidos ao Tribunal da Póvoa de Lanhoso.