Sociedade

Lotação máxima de seis mil pessoas e máscara obrigatória. Eis as medidas para as cerimónias do 13 de Outubro em Fátima

Medidas adicionais têm como objetivo minimizar o risco de transmissão do novo coronavírus entre os participantes nas celebrações desta peregrinação. 

O Santuário de Fátima revelou, esta quarta-feira, as medidas aprovadas, em conjunto com a Direção-Geral da Saúde (DGS), para a peregrinação de 12 e 13 de outubro. A lotação, que habitualmente é de 100 mil pessoas, vai ser restringida a seis mil peregrinos com o objetivo de minimizar o risco de transmissão de infeção da covid-19 entre os participantes nas celebrações.

Em comunicado, o Santuário revela que, além das restrições na lotação, também a sinalética vai ser reforçada com informações mais específicas, o uso de máscara será obrigatório durante as celebrações, vão ser criados perímetros de segurança e, no recinto, vão ser desenhados círculos no chão onde poderão estar coabitantes. O acesso ao Recinto de Oração é feito por oito entradas, com diversos meios de controlo e as deslocações no recinto só podem ser feitas nos corredores assinalados. Será ainda feita uma delimitação de alguns espaços de forma a criar perímetros de segurança e a vedar o acesso a locais suscetíveis de aglomerações.

“Em cada círculo poderá estar apenas um número limitado de pessoas coabitantes. De acordo com os planos efetuados, estimamos uma presença de cerca de 6.000 pessoas no recinto, numa área útil de 48 000m2, o que equivale a uma média de 8m2 por pessoa”, especifica o Santuário.

As oito entradas disponíveis de acesso ao recinto terão diversos meios de controlo. “Todos os movimentos são constantemente monitorizados através dos meios de videovigilância, de modo a permitir em tempo real, decisões que sejam necessárias para controlo de situações de potencial risco”, destaca.

“Os peregrinos que desejarem participar nas celebrações da noite do dia 12 e da manhã do dia 13, só poderão entrar no recinto nas entradas devidamente assinaladas, e daí serão conduzidos por acolhedores para as áreas de ocupação de acordo com os critérios estabelecidos e aí deverão permanecer até saírem do Recinto de Oração. Serão estes acolhedores que monitorizarão os espaços de forma a garantir que as vias de circulação fiquem desimpedidas para uma fácil deslocação dos peregrinos”, explica o Santuário.

Já o fluxo de peregrinos no exterior do Recinto de Oração será gerido pelas forças de segurança, nomeadamente a GNR, que garantirá o controlo de aproximação às zonas limítrofes do Santuário.