Sociedade

Marcelo disse que comunidade internacional "falhou" na resposta à pandemia

O chefe de Estado apelou à união da UE e à "convergência" e o "diálogo" entre os portugueses, durante o seu discurso de abertura do Fórum La Toja, na Galiza, onde também esteve presente o Rei de Espanha, Felipe VI. 

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, criticou a resposta fa comunidade internacional à pandemia da covid-19, durante o seu discurso de abertura do Fórum La Toja, na Galiza, onde também esteve presente o Rei de Espanha, Felipe VI.

“A comunidade internacional falhou ao descobrir a pandemia tarde demais, ao mudar de posição sobre a pandemia várias vezes, falhou quando grandes poderes do mundo decidiram atuar sós, sem colaboração e com egoísmo, dando um mau exemplo”, disse o chefe de Estado. 

Marcelo apontou ainda a crise que o mundo enfrenta devido ao aparecimento do novo coronavírus e que a pandemia veio mostrar que" vivemos um multilateralismo imperfeito" em todo o mundo, devido ás falhas na "colaboração internacional, no papel das organizações mundiais, na capacidade de conseguir resolver a prevenção e, ao mesmo tempo, o cuidado na saúde como na vida, essenciais na superação da crise económica e social". 

O Presidente da Repúblico apelou ainda à união da União Europeia. "Neste período tão complexo é fundamental que a União Europeia seja ela própria uma potência. Que ela seja uma potência política e estratégica, como é comercial. Que ela esteja unida e seja rápida a decidir como foi rápida a decidir no Conselho Europeu em que definiu um horizonte para a saúde, um horizonte para a crise económica e social, medidas de emergência e planos para o médio e longo prazo", sublinhou.

Marcelo Rebelo de Sousa afirmou ainda durante o seu discurso que um dos maiores desafios de Portugal atualmente para enfrentar a crise económica provocada pela covid-19 é a "convergência" e o "diálogo" entre os cidadãos. "Os cidadãos não perdoam guerras neste período de emergência. Que se sobreponham interesses particulares, privados, setoriais, de uma ou de outra instituição àquilo que deve ser o interesse comum", afirmou.