Economia

Vistos gold. Setor imobiliário preocupado com fim do programa

De acordo com o comunicado, "em 2019 o programa vistos gold representou 700 milhões de euros em investimento e 85 milhões de receita para o estado em impostos diretos".

O eventual fim do programa de vistos gold está a causar “extrema preocupação” à Associação Portuguesa de Promotores e Investidores Imobiliários (APPII). A entidade diz que “94% dos vistos gold concedidos desde o início do programa foram direcionados para o investimento imobiliário, destes 88,6% foram direcionados para a aquisição de imóveis acima de 500 milhões de euros. 

"No entender da APPII, que representa as 200 principais empresas de promoção e investimento imobiliário, nacionais e estrangeiras, a atuar em Portugal, esta medida vai ditar o fim de grande parte do investimento estrangeiro em Portugal, que desde 2014 já representou um investimento que ascende a 25.000 milhões de euros", indicou a entidade, na mesma nota.

A APPII recordou ainda que "94% dos vistos 'gold' concedidos desde o início do programa foram direcionados para o investimento imobiliário, destes 88,6% foram direcionados para a aquisição de imóveis acima de 500 milhões de euros" e que "97% do investimento daí decorrente foi para o litoral do país".

De acordo com o comunicado, "em 2019 o programa vistos 'gold' representou 700 milhões de euros em investimento e 85 milhões de receita para o estado em impostos diretos".

A APPII destacou ainda que existe "desde 2015 uma discriminação positiva em que é aplicada uma redução de 20% para investimentos localizados fora do litoral e dos grandes centros urbanos", garantindo que o programa vistos 'gold' é gerador de riqueza, criador de postos de trabalho e decisivo na hora de investir".

Citado na mesma nota, Hugo Santos Ferreira, vice-presidente executivo da APPII acrescentou que "o regime dos vistos 'gold' é demasiado importante" para Portugal "para ser vítima de tentativas vãs de 'jogo político'", considerando que o fim do programa é "um erro estratégico com efeitos nefastos para a reputação do país cujas consequências" não é possível ainda antecipar.

O investimento captado através dos vistos 'gold' caiu 30% em agosto, em termos homólogos, para 57,6 milhões de euros, mas subiu 2,8% face a julho, segundo contas feitas pela Lusa com base nas estatísticas do SEF.

Em agosto, o investimento resultante da concessão de Autorização de Residência para Investimento (ARI) atingiu 57.694.424,11 euros, o que representa uma queda de 30% face a igual mês de 2019 (82,5 milhões de euros).

Face a julho (56 milhões de euros), o investimento captado através dos vistos 'gold' subiu 2,8%.