Sociedade

Dezenas de precários da RTP manifestaram-se esta quinta-feira à porta da empresa

Trabalhadores Precários da RTP reivindicam a “análise/avaliação dos seus processos de forma justa" junto da empresa.

Um grupo de cerca de 30 a 40 precários da RTP manifestou-se, esta quinta, feira à porta da RTP, acusando a Comissão de Avaliação Bipartida (CAB) da Cultura e o Conselho da Administração da empresa de “irregularidades, inconformidades e ilegalidades nos pareceres que ambas as entidades emitiram sobre cada processo”, adiantaram os Precários da RTP em comunicado.

“Se, por um lado, temos uma RTP que recruta profissionais externos à empresa – fazendo deles precários –, há décadas, e não os reconhece como necessidades permanentes, por outro lado, temos uma CAB da Cultura, cuja função se prende com a análise/avaliação de cada processo de forma justa, idónea e isenta, e se limita a reproduzir os pareceres da RTP, não exigindo ou aplicando a Lei, por exemplo, o princípio da equidade”, pode ler-se no comunicado.

Assim, os Trabalhadores Precários da RTP explicam que o objetivo das reivindicações é a “análise/avaliação dos seus processos de forma justa e em comunhão de equidade com os processos que obtiveram parecer favorável”.