Desporto

João Almeida: história cor-de-rosa

O ciclista de 22 anos tornou-se o segundo português de sempre a ter a camisola rosa no Giro, 31 anos depois de Acácio da Silva ter conseguido o feito, precisamente no vulcão Etna.

João Almeida (Deceuninck-Quick Step) voltará a usar este sábado a camisola rosa na Volta a Itália em bicicleta. Será o quinto dia que o ciclista das Caldas da Rainha entra na prova com a maglia rosa, o símbolo da liderança da competição. Num ano em que faz a sua estreia em grandes Voltas, o português de 22 anos já entrou para a história do ciclismo nacional. Apesar da inexperiência ter sido dada logo à partida como um dos principais obstáculos do atleta, a verdade é que João Almeida começou a dar que falar logo na ronda inaugural da prova italiana de três semanas. No contrarrelógio de 15km, o ciclista da Deceuninck-Quick Step foi segundo classificado, só atrás de Filippo Ganna, campeão mundial da especialidade. Depois do brilhante resultado na Sicília, o português conquistou a histórica camisola rosa no fim da terceira etapa. Nos 150 km que ligaram Enna ao vulcão Etna, João Ameida terminou em 11.º lugar e tornou-se o segundo português a liderar uma das mais importantes provas do ciclismo mundial, 31 anos depois de Acácio da Silva ter conseguido o feito, precisamente no mesmo ponto de chegada (na edição de 1989, tendo, contudo, usado a camisola ‘apenas’ durante dois dias).

Desde esse momento até hoje, João Almeida não trocou mais de camisola. Esta sexta-feira ficou cumprida a sétima etapa do Giro, 143 quilómetros entre Matera e Brindisi: o corredor das Caldas da Rainha chegou no 16.º lugar, com o grupo principal. Almeida reforçou a liderança na geral, com o holandês Wilco Kelderman (Sunweb), agora em segundo lugar, a 48 segundos, enquanto o espanhol Pello Bilbao (Astana) caiu para terceiro, a 49. Além da camisola rosa, João Almeida continua líder da branca, da juventude, com 59 segundos de vantagem para Harm Vanhoucke (Lotto Soudal), segundo classificado. 

Este sábado, vai realizar-se a oitava etapa do Giro, que liga Giovinazzo a Vieste, ao longo de 200 quilómetros, com duas contagens de montanha, uma de segunda e outra de quarta categoria, e um final em circuito. A prova termina no próximo dia 25 de outubro em Milão, ao cabo de 21 etapas e um total de 3.497,9 quilómetros.

A nova estrela cor-de-rosa
Natural das Caldas da Rainha, iniciou o seu percurso desportivo na natação e no futebol. Já dentro da modalidade, começou primeiro no BTT, e depois na estrada. A entrada supostamente tardia no ciclismo não tem passado, porém, de um simples pormenor. Num ano atípico para o desporto, João Almeida foi 2.º no prémio da juventude da Volta ao Algarve, terminou a Volta a Burgos no 3.º lugar da geral individual e dos pontos e ganhou o prémio da juventude no Tour de L’Ain (sétimo na geral). 

A nova estrela do ciclismo português brilha agora na primeira experiência numa grande Volta – e promete voltar a escrever novos capítulos ainda em solo italiano.