Economia

CIP e CEOE defendem "cooperação transfronteiriça" para combater crise económica

As instituições afirmam que é necessário "dotar a Península Ibérica de uma rede eficaz de transportes de mercadorias que ligue os seus portos ao centro da Europa".

A CIP – Confederação Empresarial de Portugal e a Confederación Española de Organizaciones Empresariales (CEOE) defenderam, este sábado, o seu compromisso para com o processo de recuperação económica na Europa e defenderam que para combater a crise atual provocada pelo aparecimento do novo coronavírus deve ser criada uma maior "cooperação transfronteiriça" entre Portugal e Espanha,  no dia em que se realiza a 31ª Cimeira Luso-Espanhola, na cidade da Guarda.

As instituições afirmam que é necessário "dotar a Península Ibérica de uma rede eficaz de transportes de mercadorias que ligue os seus portos ao centro da Europa" e apelam aos Governos dos dois países para que promovam a "necessária coordenação dos investimentos, tanto ao nível do planeamento e timings de construção, como no que respeita à harmonização das soluções técnicas das infraestruturas", pode ler-se num comunicado enviado ao primeiro-ministro de Portugal e ao presidente do Governo de Espanha. 

As instituições sublinharam, mais uma vez, a importância da aprovação e implementação, "o mais rapidamente possível", do Plano de Recuperação para a Europa. Tanto a CIP como a CEOE consideram ainda que a estratégia europeia "abre novas possibilidades para uma intervenção coordenada, constituindo uma única via para mitigar os perigosos efeitos de fragmentação da resposta assimétrica que até agora tem caracterizado a reação à pandemia de covid-19 na Europa", pode ler-se na nota. 

No que toca à estratégia nacional de cada país, ambas as organizações acreditam que é necessário "um reforço e reorientação das medidas de emergência já tomadas nos dois países" e sublinham que devem ser criados "planos de recuperação que coloquem as empresas no centro das estratégias nacionais".