Economia

APREN satisfeita com redução de 60% das emissões até 2030 aprovada no Parlamento Europeu

A decisão da União Europeia prevê uma redução de 60% das emissões de gases com efeito de estufa (face aos 40% que vigoram atualmente), no âmbito dos objetivos climáticos para 2030.

A Associação de Energias Renováveis (APREN) reagiu com satisfação à aprovação pelo Parlamento Europeu de uma nova atualização dos objetivos climáticos da União Europeia para 2030, que prevê a redução de 60% das emissões de gases com efeito de estufa, face aos 40% que vigoram atualmente.

“As renováveis são o único caminho possível para a humanidade. Isso mesmo ficou marcado na conferência anual que a APREN realizou, a Portugal Renewable Energy Summit, subordinada ao tema ‘A eletricidade renovável no centro da descarbonização’, que decorreu a partir de Lisboa. Ao mesmo tempo, em Bruxelas, os eurodeputados votavam em linha com esta transição inadiável e urgente, que congratulamos e apoiamos”, refere a associação em comunicado.

“A descarbonização da economia é ‘a’ ferramenta por excelência no combate às alterações climáticas, e como vetor de recuperação económica europeia e nacional, bem como vetor de criação e desenvolvimento de um novo modelo socioeconómico, descorrelacionado do consumo intensivo de recursos naturais, entre eles e de maior urgência, os combustíveis fósseis”, defende o presidente da APREN, Pedro Amaral Jorge.

Pedro Amaral Jorge lembra que cabe agora a cada Estado-Membro “a responsabilidade de ajudar a cumprir as metas exigentes da União Europeia, ajudando a impulsionar as energias renováveis e a eficiência energética”.

A proposta – no âmbito da proposta que visa consagrar na legislação o objetivo da União Europeia de alcançar a neutralidade climática até 2050 – foi aprovada no Parlamento Europeu com 352 votos a favor, 326 contra e 18 abstenções.