Sociedade

"Com estes números daqui a duas semanas entramos em colapso", diz diretora da Infecciologia do Amadora-Sintra

Médica considera que "ministra não vive a realidade de quem está no terreno".

Patrícia Pacheco, diretora do Serviço de Infecciologia do Hospital Amadora-Sintra, disse, esta quinta-feira, que teme que os hospitais entrem em colapso em duas semanas devido ao aumento de novos casos de covid-19.

Em entrevista à rádio Observador, a diretora afirmou que os hospitais estão a perder a capacidade de internamento de forma a garantir a segurança dos doentes e dos profissionais.

“O risco do colapso do sistema de saúde é real. Se a situação e os números se mantiverem, em duas semanas entramos em colapso", disse a médica.

Patrícia Pacheco considera ainda que a ministra da Saúde, Marta Temido, “não vive a realidade de quem está no terreno” e que a resposta que tem sido dada à pandemia não é suficiente.A responsável diz que a governante não sabe o que está por detrás dos números, designadamente em cada hospital e centros de saúdes, e defende que é preciso saber a pressão e dificuldades que os profissionais da linha da frente enfrentam. “Os números não nos dizem tudo, é preciso perceber o que está por detrás destes números", defendeu.

A médica referiu ainda que "a resposta não é suficiente" e apelou à ajuda dos privados para que os doentes não fiquem sem cuidados de saúde.

Numa entrevista à SIC, esta quarta-feira à noite, Patrícia Pacheco já tinha referido que as medidas decretadas pelo Governo esta quarta-feira, no âmbito da situação de calamidade”, eram “insuficientes”, apesar de importantes.

"O caminho que se está a percorrer não é o ideal", disse a médica, criticando também o estilo comunicacional "ligeiro" do Governo e das autoridades saúde.