Sociedade

Faculdade de Direito suspende professor que comparava feminismo com nazismo.

O docente foi também acusado de violência doméstica, mas viria a ser absolvido.

Francisco Aguilar, professor da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, foi suspenso esta quarta-feira.

Sublinhe-se que a abertura do processo disciplinar - no passado dia 25 de setembro - ocorreu após a divulgação, pelo jornal Público, do programa curricular das cadeiras de Direito Penal IV e Direito Processual III, nas quais os estudantes eram incitados a relacionar violência doméstica com "disciplina doméstica" e a encarar o "homem branco cristão e heterossexual" como "tribo bode expiatório". 

Recorde-se que na mesma data, o docente foi também absolvido do crime de violência doméstica pela juíza Joana Ferrer, do Tribunal Local Criminal de Lisboa. A notícia foi avançada pela revista Sábado, que acrescentou que "a acusação ao professor universitário foi feita por uma aluna, dez anos mais nova, com quem manteve uma relação de cariz amoroso entre os anos de 2015 e 2016 e a quem o professor chegou a 'agarrar o pescoço' com a mão e a empurrar". No entanto, a juíza "considerou que o facto de a arguida 'ter provocado' e respondido a alguns insultos é motivo para não proceder à condenação do académico".