Internacional

Iris Davies. A história da avó que comprou e embrulhou presentes de Natal antes de morrer com covid-19

A idosa é descrita como "um diamante" pelos familiares.


Iris Davies, de 69 anos, morreu na semana passada, no hospital de Royal Glamorgan - no Reino Unido - infetada pelo novo coronavírus. A idosa natural de Rhondda, em Wales, é descrita pelos familiares como "um diamante" ao jornal britânico The Sun. A família da vítima da covid-19 adiantou igualmente que se encontra de "coração partido" após ter descoberto que a Davies havia comprado e embrulhado os presentes de Natal dias antes de perder a vida.

A inglesa deu entrada no hospital para combater uma gastroenterite e uma bronquite. No entanto, mesmo internada, mantinha os familiares e amigos informados por meio de atualizações nas redes sociais, especialmente, o Facebook. A partir da cama do hospital, contam os entes queridos à publicação anteriormente referida, "certificava-se de que o marido, há 38 anos, Joe, se alimentava devidamente". Chegou mesmo a pagar entregas de mercearia ao domicílio para que nada faltasse ao companheiro.

Teve alta hospitalar, em setembro, mas acabou por regressar ao hospital a 6 de outubro com um teste positivo de coronavírus. Os profissionais de saúde decidiram readmitir a idosa na ala de internamento e esta "brincava com os outros pacientes e comentava constantemente a comida que lhe era servida". Na altura, Davies escreveu no Facebook: "Soube que estava com problemas quando a minha enfermeira preferida foi ver-me e perguntou se tinha visitas naquele dia. Disse que estava à espera da minha família, ela sentou-se junto de mim, na minha cama (não havia cadeiras), agarrou a minha mão e disse-me que estava novamente com coronavírus e teria de ser transferida para os cuidados intensivos".

Uma das netas de Davies, Molly Evans, partilhou na rede social Instagram: "A minha avó e eu adorávamos ler poemas e histórias. Quando eu escrevia um texto, ela fazia-me imprimi-lo oito vezes para que pudesse entregar cópias do mesmo aos amigos e colegas de trabalho, dizendo sempre que seria uma escritora". A seu lado, o irmão de Molly, Carson, esclareceu que a avó era a "mais importante", fazendo sempre questão de passar tempo de qualidade com ele.

Os comentários estão desactivados.