Internacional

Papa Francisco nomeia primeiro cardeal afro-americano

Wilton Gregory, de 73 anos, arcebispo de Washington, é um conhecido crítico de Donald Trump, defensor dos direitos civis e da aproximação da Igreja a pessoas LGBT+. 

Wilton Gregory, de 73 anos, arcebispo de Washington, tornou-se o primeiro cardeal afro-americano, após ser nomeado pelo Papa Francisco, este domingo. Tornou-se conhecido do público como opositor do porte de arma e, mais recentemente, ao criticar a visita do Presidente Donald Trump a um santuário dedicado ao Papa João Paulo II, no dia seguinte a este mandar varrer manifestantes antirracistas com gás lacrimogéneo e balas de borracha, para tirar uma foto com uma bíblia na mão à frente de uma igreja, em junho.

“Penso que é repreensível que qualquer espaço católico se permitisse ser tão claramente mal usada e manipulada de uma maneira que viola os nossos princípios religiosos, que pedem que defendamos os direitos de todos, mesmo os que discordam connosco”, declarou na altura Gregory, um dos 13 cardeais nomeados no domingo, em declarações citadas por boa parte dos media norte-americanos.

A nomeação do clérigo contraria a tendência dos últimos anos, em que as hierarquias católicas norte-americanas estiveram entre os principais críticos do papa Francisco, liderados pelo conservador cardeal Raymond Burke. A nomeação de Gregory, que tem sido um sonoro apoiante da aproximação do Papa Francisco à comunidade LGBT+, também é visto como um reforço dessa nova posição da Igreja.