Politica

O eterno putativo candidato à Presidência

O SOL falou com o autointitulado ‘candidato Vieira’, que nunca conseguiu reunir as 7500 assinaturas necessárias para concorrer às eleições presidenciais.

Manuel João Vieira, é a quinta vez que tenta ser candidato à Presidência da República. É desta?

Neste momento, não tenho uma pessoa para me ajudar. Eu estou disponível para ser Presidente, se alguém me tratar das assinaturas.

Está à procura de voluntários?

As pessoas são crescidas e se tiverem vontade de o fazer, fazem. Se eu fosse autarca e não fizesse mais nada da vida, talvez tivesse tempo para isto. Infelizmente tenho de trabalhar, mas estou disposto a representar qualquer partido.

E qual é a filosofia que lhe permite estar apto para qualquer partido?

A minha filosofia é quem der mais dinheiro. Mas aquilo que digo e assino nem sempre leva a assinatura verdadeira. Eu não sou de confiar e portanto sou um político autêntico.

Como pretende manter a promessa de ‘deixar tudo na mesma’?

Eu acho que deixar tudo na mesma é uma prova de que é possível fazer diferente. A lógica do crescimento infindável avizinha-se da autodestruição e as populações de lemingues, quando são demasiado grandes, acabam por se suicidar, mesmo que não queiram.

Consegue explicar a estratégia política por detrás de andar de burro?Eu já na altura percebia que o aquecimento global se devia ao aumento dos gases de combustão. Portanto, e muito antes do que aquela menina sueca, eu optei por um meio de locomoção ecológica. Os Presidentes têm de estar à frente do seu tempo.

E quais são as promessas ecológicas do Candidato Vieira?

Faria tudo, não para chatear, mas para preservar Portugal. Uma das minhas ordens é obrigar as pessoas a usar as cuecas por cima das calças, porque é aí que vemos quem elas são.

Que comitiva vai levar para o Palácio de Belém? Tenciona levar o burro?

Eu gosto muito do Imperador Romano Calígula, que nomeou, como cônsul, um cavalo. No entanto, não creio que o coitado do burro tenha interesse. Em relação ao resto da comitiva, talvez precisasse de uma pessoa extra para tratar da covid: uma rapariga boazona no Ministério da Saúde e, talvez, outra para o Ambiente.

O que é que o candidato Vieira promete aos portugueses?

Tenho um amigo que diz que se tirássemos os portugueses e deixássemos só os choferes de táxis e as prostitutas, estava tudo bem. E eu digo que não é bem assim. E ele insiste que é! Deixa-se uns pescadores para fazer umas aldeias típicas e, em Alfama, mete-se uns figurantes e o resto pode emigrar, como dizia o Passos Coelho.

Caso consiga recolher as assinaturas, acha que tem hipóteses contra o atual Presidente?

Tenho a certeza absoluta de que vou ganhar. Não há sombra de dúvidas e é por isso que nunca tenho as assinaturas. Existem forças de bloqueio…

Por que razão essas ‘forças’ teriam interesse em si?

Pois, por que razão é que as forças do mal organizadas e com uma fortuna incomensurável se preocupam comigo? Aí percebi. Eu fui o escolhido. Eu sou o profeta que irá levar Portugal para além da extinção.

Chegando aos debates, qual é a luta que quer levar para a mesa?

Eu gostaria que os cães também pudessem votar. Acho incrível não haver minorias animais no Parlamento. Há mais formigas que seres humanos, por exemplo, e não haver sequer uma formiga a representar esse grupo político é lamentável.

Muito obrigado pelo seu tempo.

Obrigado. Faço minhas as palavras do Presidente Bolsonaro: Paz e Progresso.