Economia

PIB sobe 13,2% no 3.º trimestre, mas recua 5,8% face a 2019

Uma evolução que é explicada pelo INE pelo desconfinamento do país e pela retoma económica entre julho e setembro.

No terceiro trimestre, a economia portuguesa registou uma quebra homóloga de 5,8%,mas em cadeia, o PIB nacional aumentou 13,2%. Uma evolução que é explicada pelo desconfinamento do país e pela retoma económica. Os dados publicados, esta sexta-feira, pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

"A evolução do PIB deveu-se sobretudo ao comportamento da procura interna, que registou um contributo para a variação homóloga do PIB consideravelmente menos negativo que o observado no trimestre anterior, traduzindo principalmente a menor contração do consumo privado. O contributo negativo da procura externa líquida foi menos acentuado no 3º trimestre, em resultado da recuperação mais significativa das exportações de bens e serviços que a observada nas importações de bens e serviços, devido em grande medida à evolução das exportações de bens, uma vez que as de serviços mantiveram reduções expressivas", refere em comunicado. 

Estes números estão quase em linha com as projeções da Universidade Católica que indicava que, no terceiro trimestre, o PIB teria crescido 5% em cadeia e afundado 12,5% em termos homólogos.

O INE esclarece ainda que "esta estimativa rápida incorpora nova informação primária, nomeadamente no que se refere ao comércio internacional de bens e aos indicadores de curto prazo relativos ao 2º trimestre de 2020. Adicionalmente foram atualizadas as estimativas das Despesas de Consumo Final das Administrações Públicas para 2020, com base na informação da execução orçamental mais recente. Este novo conjunto de informação implicou revisões nas taxas de variação homóloga e em cadeia do PIB para o 1º e 2º trimestre de 2020, em comparação com a divulgação de resultados das Contas Nacionais Trimestrais a 23 de setembro de 2020".