Sociedade

Marta Temido admite situação "muito grave" no Tâmega e Sousa

Governante fez questão de sublinhar que serão tomadas medidas para controlar o problema.


A ministra da Saúde admitiu, esta quinta-feira, em entrevista à TSF que a situação no Hospital do Tâmega e Sousa, relacionada com o elevado número de internamentos, é “muito grave”, mas garantiu que está a ser resolvida. Recorde-se que o número de internamentos levou mesmo a um pedido de ajuda feito pelo presidente do Conselho de Administração daquela instituição.

"Neste momento, a informação que tenho é que baixámos daquilo que têm sido os números de doentes internados no Tâmega e Sousa que, em vários dos últimos dias, ultrapassaram os 200 internados, numa capacidade hospitalar de camas, que é de cerca do dobro, para 173 doentes internados por covid-19 esta manhã”, adiantou Marta Temido.

“Temos ainda um conjunto de transferências a acontecer e o nosso objetivo é chegar ao final da semana com cerca de 150/160 doentes de covid-19 internados neste hospital, o que lhe permitirá já conseguir responder melhor", acrescentou.

A ministra deixou ainda um apelo à responsabilidade individual, mensagem que tem sido repetida por todos os membros do Governo de António Costa. "A resposta a este momento que estamos a viver está nas mãos de cada um de nós, não está só nas mãos dos governos, antes estivesse, não está só na disponibilização de meios, antes estivesse, porque temos alocados todos os meios disponíveis, está nos comportamentos individuais e na nossa capacidade de parar a transmissão da doença. Não há ninguém que consiga parar o vento com as mãos".

Os comentários estão desactivados.