Internacional

Educador de infância e treinador de futebol detidos por envolvimento em rede internacional de pedofilia

Grupo de suspeitos enfrenta 828 acusações de abuso sexual de crianças e de produção e distribuição de material sobre abuso de menores e bestialidade

Foram detidos, na Austrália, um educador de infância e um treinador de futebol por suspeitas de estarem envolvidos numa rede de pedofilia internacional. Ambos, fazem parte de um grupo de 16 homens detidos nos últimos meses nos estados de Nova Gales do Sul, Queensland e Austrália Ocidental, anunciou a polícia australiana na quarta-feira,

Esta investigação, iniciada há vários meses, advém de uma denúncia feita pelas autoridades norte-americanas, e permitiu desmantelar uma rede de pedofilia na Austrália, com ligações aos Estados Unidos, Canadá, Europa, Nova Zelândia e Ásia. Só na Austrália foram identificadas 46 vítimas, com idades entre os 16 e os 15 anos. Os detidos enfrentam 828 acusações de abuso sexual de crianças e de produção e distribuição de material sobre abuso de menores e bestialidade, adiantou a comissária-adjunta da Polícia Federal australiana, Justine Gough.

“Nenhuma criança deve ser sujeita a abuso e violência por parte das pessoas em quem confia, quer se trate de um membro da família, de um educador de infância ou de um treinador de futebol”, disse a responsável. “Triste e dolorosamente, este tem sido o caso dos maus-tratos infligidos às vítimas”, disse ainda Justine Gough.

A pista inicial partiu do Centro Nacional para Crianças Desaparecidas e Exploradas dos Estados Unidos, uma organização sem fins lucrativos, financiada pelo governo norte-americano, que denunciou em fevereiro às autoridades australianas um homem em Nova Gales do Sul que carregava informaticamente material sobre abuso sexual de menores.

O homem, com 30 anos, em Wyong, a norte de Sidney, acabou por ser detido pelas autoridades, que efetuaram buscas no computador do suspeito e chegaram a fóruns de redes sociais em participava. É que, segundo a comissária-adjunta da polícia, a rede de pedofilia utilizava a internet normal e a dark web para partilhar pornografia infantil.

A polícia australiana remeteu entretanto 18 casos para os Estados Unidos, onde três homens foram detidos por vários crimes relacionados com material pedopornográfico, e outros 128 casos para serem investigados no do Canadá, Ásia, Europa e Nova Zelândia.

O responsável para a Austrália do Departamento de Segurança Interna dos Estados Unidos, Adam Parks, preferiu não comentar as três detenções nos Estados Unidos, referindo apenas que se trata de uma rede internacional “enraizada na Austrália”, cujas investigações ainda estão a decorrer.