Economia

Portugal com quarta maior quebra de emprego na UE no segundo trimestre

Dados do Eurostat, indicam que pior só mesmo Estónia, Espanha e Bulgária. Por outro lado, apenas na Alemanha e Malta não houve registo de quebra de emprega durante este período.

Portugal teve a quarto maior quebra de emprego na União Europeia (UE) no segundo trimestre do ano – período marcado pelas medidas restritivas de combate à pandemia –, segundo os dados divulgados esta quarta-feira pelo Eurostat. 

Pior que Portugal, apenas Estónia, Espanha e Bulgária. O gabinete estatístico europeu destaca ainda a quebra de emprego na Irlanda e Áustria.

Por outro lado, a Alemanha e Malta foram exceções, sendo, neste período, os únicos Estados-membros da EU que não registaram uma diminuição das taxas de emprego, quando comparados os dados com o quarto trimestre de 2019 e o segundo trimestre de 2020. 

No segundo trimestre de 2020, 187,3 milhões de pessoas (correspondente a 72% da população total da EU), com idades entre os 20 e os 64 anos, estavam empregadas. Este valor compara com os 190,1 milhões (ou 73%) no primeiro trimestre de 2020 e os 191,1 milhões (ou 73,1%) no quarto trimestre de 2019.