Cultura

Chimamanda Ngozi Adichie vence Women's Prize for Fiction

A escritora foi eleita "vencedora dos vencedores".

Chimamanda Ngozi Adichie, escritora nigeriana de 43 anos, arrecadou o Women's Prize For Fiction esta quinta-feira. Este prémio é um dos mais prestigiados do Reino Unido no âmbito literário, sendo atribuído, todos os anos, à autora - de qualquer nacionalidade - que escreveu a melhor obra de ficção, em Inglês, publicada no país no ano anterior.

Neste caso, Ngozi Adichie foi eleita a "vencedora dos vencedores" nos 25 anos de existência desta distinção, sendo que há treze anos foi galardoada com a mesma por meio da publicação do romance "Meio Sol Amarelo". Neste livro, explorou a guerra do Biafra, o confronto de etnias, o fim do colonialismo e o empoderamento feminino. É de referir que, entre os 25 vencedores apurados ao longo da existência do prémio - como Zadie Smith com "Uma questão de beleza" ou Lionel Shriver com "Temos de falar sobre o Kevin" -, a autora de obras como "Americanah" destacou-se.

De acordo com informação veiculada pela BBC, a escritora disse que se encontra "especialmente emocionada por ser eleita 'vencedora dos vencedores'", pois foi o Women's Prize For Fiction que a catapultou para a fama literária. "Foi este o prémio que me trouxe um vasto público e que também me introduziu ao trabalho de muitos escritores talentosos", referiu em entrevista ao canal anteriormente referido, sendo que atualmente se encontra em Lagos, na Nigéria. Em 2007, com a vitória de "Meio Sol Amarelo", Muriel Gray, presidente do júri à época, afirmou que "'embora seja por vezes pomposo chamar 'importante a um livro, é apropriado dizê-lo" da obra anteriormente mencionada.

Ngozi Adichie publicou, pela primeira vez, em 2003, lançando "A cor do hibisco". A autora receberá uma edição de prata da estatueta anual do prémio, denominada "Bessie", que foi criada e doada pelo artista Grizel Niven.