Politica

Sobe para 191 o número de concelhos obrigados a cumprir medidas do Estado de Emergência

Para "evitar equívocos", o primeiro-ministro disse que todos os estabelecimentos comerciais e de restauração devem ser encerrados a partir das 13h00 de sábado.

António Costa, disse, esta quinta-feira, após a reunião de Conselho de Ministros, que a situação que o país enfrenta é mais "grave e mais crítica do que aquela que vivemos na primeira fase da pandemia", durante a conferência de imprensa habitual. "O número de pessoas internadas é francamente superior à que tivemos na primeira vaga. E temos a lamentar um número de falecimentos por dia superior ao que tivemos antes", disse o primeiro-ministro. 

Costa celebrou ainda o comportamento dos cidadãos portugueses e diz estar satisfeito com o "acatamento generalizado e comportamento cívico exemplar por parte dos portugueses" com as regras impostas pelo Governo durante o Estado de Emergência, como a restrição de circulação a partir das 23h00 nos concelhos de maior risco de propagação da doença, no entanto, lamenta que algumas pessoas tenham "procurado mais encontrar a exceção do que ajustar-se às regras", apesar de reconhecer o cansaço dos portugueses.

Para "evitar equívocos", o primeiro-ministro disse que todos os estabelecimentos comerciais e de restauração devem ser encerrados a partir das 13h00 de sábado. António Costa diz que estes espaços devem estar encerrados desde as 13h00 de sábado até às 08h00 horas de domingo e entre as 13h00 de domingo até às 8h00 de segunda-feira. "Exceções são farmácias, clínicas e consultórios, estabelecimentos de venda de bens alimentares até 200m2 e bombas de gasolina", disse Costa. 

O primeiro-ministro falou ainda sobre as alterações na lista de concelhos de risco: Sete vão deixar de fazer parte da lista, como é o caso dos concelhos e Tabuaço e São João da Pesqueira. Por outro lado, 77 vão passar a ser obrigados a cumprir medidas estabelecidas pelo Governo.

No total, existem 191 concelhos na lista que estabelece várias regras impostas pelo Governo durante o Estado de Emergência, no entanto existem "situações muito díspares", daí ser necessário que sejam feitas medidas específicas para cada um, visto existirem concelhos "que passam pouco os 240 casos diários por 100 mil habitantes e há outro que tem mais de 3000 casos diários por 100 mil habitantes". 

Foi ainda anunciada uma medida de apoio ao setor da Restauração, que vai ser prejudicado com a restrição de circulação durante os próximos dois fins de semana a partir das 13h00: Haverá uma compensação de 20% da perda de receita nos dois fins de semana, face à média dos último 44 fins de semana, que será verificada através do e-fatura. A partir do dia 25 de novembro, os estabelecimentos podem pedir a sua compensação. 

Costa assume que as medidas tomadas pelo Governo até ao momento " ainda não surtiram o efeito desejado" e diz que "é impossível não pensar num prolongamento do Estado de Emergência" neste momento. 

Questionado sobre a celebração do Natal, António Costa diz que o Governo não quer "afetar o Natal" mas que é necessário que as famílias se preparem "para não se juntar simultaneamente" e volta a sublinhar que 68% dos contágios estão a ocorrer em convívios sociais.