Economia

Faber arranca com fundo de 30 milhões para investir em startups ibéricas

Em termos geográficos o fundo irá maioritariamente dedicar os seus investimentos a startups que utilizem a Ibéria como plataforma de lançamento para o mercado global, explorando o seu potencial como um dos centros tecnológicos em ascensão da Europa.

A Faber, sociedade de capital de risco portuguesa, acaba de concluir a primeira vaga de financiamento do seu novo fundo de investimento, o Faber Tech II, com um montante inicial de 20,5 milhões de euros. O fundo continuará em processo de fundraising durante o próximo ano, com um objetivo mínimo de 30 milhões de euros.

"Este novo fundo assume um posicionamento especializado, ao direcionar os seus investimentos para empresas em fase inicial ( pré-séries A) que operem e liderem áreas como a Inteligência Artificial, Machine Learning ou Big Data, e tenham como principal objectivo a transformação digital de empresas e indústrias a nível global", diz em comunicado.

Em termos geográficos o fundo irá maioritariamente dedicar os seus investimentos a startups que utilizem a Ibéria como plataforma de lançamento para o mercado global, explorando o seu potencial como um dos centros tecnológicos em ascensão da Europa.

A Faber já executou três investimentos, a serem incorporados no Faber Tech II, entre eles uma participação na ronda de financiamento Séries A de 15,6 milhões de euros feita pela SWORD Health - start up portuguesa que criou o primeiro sistema de fisioterapia digital que junta inteligência artificial e equipas clínicas-, a liderança da ronda pre-seed da YData, uma plataforma que ajuda os data scientists a melhorar a qualidade dos dados e a garantir a sua privacidade , e a participação na ronda pre-seed da Emotai, que desenvolveu uma plataforma de análise e melhoria de desempenho para atletas de desportos virtuais, baseada em neurociência.

O fundo irá durante o próximo ano, continuar a angariar investidores que queiram apostar nesta cada vez mais atrativa classe de ativos e numa abordagem especializada. Além de vários investidores privados (particulares e institucionais), o Faber Tech II tem como investidores “âncora” o Fundo Europeu de Investimento (FEI) - maior investidor institucional Europeu nesta classe de ativos - e a Instituição Financeira de Desenvolvimento (IFD) que, em conjunto, assumiram um compromisso de 15 milhões de euros ao abrigo do Plano Juncker e do programa Portugal Tech.