Internacional

Trump diz que vacina estará pronta em "semanas". Mas especialista esclarece: "Potencialmente teremos duas vacinas prontas até ao fim do ano"

Sobre um possível novo confinamento nos EUA, Trump recusa tal cenário durante a sua administração.

Donald Trump fez o seu primeiro discurso público depois de ter perdido as eleições norte-americanas contra o democrata Joe Biden. O tema principal foi o novo coronavírus e a vacina desenvolvida pela farmacêutica Pfizer, cuja empresa diz ter 90% de eficácia contra a covid-19. O ainda Presidente dos EUA afirma que a distribuição gratuita da vacina deverá "chegar muito em breve" e que esta deve ser distribuída "muito rapidamente, numa questão de semanas". No entanto, Monsef Slaouí, o diretor científico da Operação Warp Speed, falou depois do Presidente e apesar de não ter desmentido o mesmo, alargou o prazo de distribuição da mesma: "Potencialmente teremos duas vacinas prontas até ao fim do ano", disse o especialista.

Durante o seu discurso, Trump enalteceu o trabalho feito pela administração norte-americana que conseguiu alcançar num ano algo que acontece em "8 ou 12 anos". “Chegamos a esta vacina cinco vezes mais rápido que qualquer outra vacina. Cinco vezes. Há três outras vacinas nas fases finais de testes que deverão chegar nas próximas semanas, a produção será feita em massa e a entrega será muito rápida. Estamos prontos para avançar”, disse. 

O chefe de Estado norte-americano afirmou que as primeiras pessoas que vão receber a vacina da Pfizer serão os profissionais de saúde que estão na linha da frente de combate ao novo coronavírus, os idosos e os doentes de alto risco. 

Sobre um possível novo confinamento, Trump recusa tal cenário durante a sua administração. “Na minha administração não haverá novo lockdown, noutra qualquer não sei, espero que não aconteça, mas na minha não haverá novo lockdown. A cura não pode ser pior que o próprio problema como tenho dito, o que vimos no primeiro lockdown foi horrível”, afirma 

Recorde-se que vários especialistas já se mostraram duvidosos em relação a esta vacina e o governador de Nova Iorque já veio a público afirmar que só depois de Andrew Cuomo, um especialista que acusou a operação norte-americana de ser "um falhanço", confirmar a eficácia da mesma é que a vai distribuir pelos cidadãos da cidade. E Trump não resistiu a mencionar o governador durante o seu discurso. "As vacinas só não estão prontas para serem distribuídas em Nova Iorque porque o governador não está pronto a recebê-la. Estamos pronto a fornecê-la assim que o governador estiver pronto a recebê-la", disse.