Sociedade

Covid-19. Hospital de S. José recebe doentes críticos da região Norte para tratamento em ECMO

Hospital de São João, no Porto, esgotou capacidade e quatro doentes foram transferidos para Lisboa nas últimas 48 horas

O Hospital São José, em Lisboa, recebeu quatro doentes com covid-19 da região Norte que necessitam de tratamento em ECMO, um dispositivo de circulação sanguínea extracorporal usado em doentes críticos. "O Centro Hospitalar Lisboa Central (CHLC), está a fazer resgates de ECMO (cuidados intensivos) de doentes covid-19 da região Norte", indicou a unidade, numa nota enviada à agência Lusa.

Os primeiros doentes foram transferidos esta sexta-feira dos hospitais de Penafiel, Pedro Hispano (em Matosinhos) e de Bragança. Este sábado o Hospital de São José recebeu um doente do Hospital de Guimarães.

"Esperamos que o confinamento reduza nos próximos dias a pressão sobre o SNS [Serviço Nacional de Saúde]", sublinha o CHLC, adiantando a que "a gestão dos doentes funciona em pleno entre as unidades".

O Centro Hospitalar e Universitário de S. João, no Porto, os hospitais de Santa Maria e de S. José são centros de referência para ECMO. Na região Norte, o S. João tem capacidade para 15 doentes em ECMO. Este sábado, a capacidade do hospital estava lotada, sendo que do total de doentes a necessitar desta terapia, 11 são doentes com covid-19.  

O número de doentes com covid-19 internados em cuidados intensivos continua a aumentar. Esta sexta-feira, de acordo com o boletim divulgado este sábado pela DGS, havia 413 doentes internados em UCI, mais 25 do que no dia anterior. A Associação Portuguesa de Administradores Hospitalares, que passou a divulgar semanalmente previsões sobre a necessidade de internamento de doentes com base na situação epidemiológica em cada região, estima que no final da próxima semana, no pior cenário, podem vir a ser necessárias 4503 camas para doentes com covid-19, dos quais 605 em ventilação mecânica (cuidados intensivos).

Apesar de a população mais velha ter maior risco de desenvolver quadros graves de covid-19, os doentes internados em UCI cobrem um espetro alargado de idades. José Artur Paiva, presidente do Colégio de Medicina Intensiva da Ordem dos Médicos, adiantou este sábado que 10% dos doentes internados em UCI no São João têm menos de 50 anos. Na região Norte, 20% dos doentes internados atualmente em UCI têm menos de 60 anos, disse o médico. Em declarações na SIC, o intensivista considerou que as atuais medidas podem ser insuficientes para diminuir a transmissão da doença.