Internacional

A escalada da pandemia no mundo

Por todo o mundo continuam a registar-se recordes de infeções diárias. Número de vítimas sobe a um ritmo alarmante, sobrelotando hospitais e morgues.

Depois de uma semana em que todas as atenções estiveram voltadas para o resultado das eleições nos Estados Unidos, agora, os alarmes no país voltam a soar devido à escalada preocupante de mortes e de casos de infeção de covid-19.

Um dos exemplos mais preocupantes é o Texas, o primeiro Estado a ultrapassar um milhão de casos de infeção, e está a ter sérios problemas em lidar com as vítimas da pandemia.

Em El Paso, sexta cidade mais populosa deste estado, foi necessário construir morgues adicionais depois de as autoridades anteciparem um pico de mortes nos seus sobrelotados hospitais.

«A situação não está boa e não há um fim à vista», disse Ashish Jha, reitor da Escola de Saúde Pública da Brown University ao New York Times. «Mesmo que conseguíssemos travar todas as transmissões hoje, que não conseguimos, nem faremos, estaremos sobrelotados em várias comunidades na América».

Esta semana, os EUA ultrapassaram o recorde diário de infeções por duas vezes, na terça e quarta-feira. Atualmente, o máximo diário de infeções está afixado nos 142.906.

O número de fatalidades, apesar de não estar tão elevado como no seu pico (no dia 21 de abril foram reportadas 2.744 mortes), voltou a níveis preocupantes. Na quinta-feira foram registados 1764 óbitos.

Desde o início da pandemia, os EUA já lamentaram 248.585 mortes, o maior número em todo o mundo.

 

Festival em Nova Deli

A Índia está a passar por um dos momentos mais difíceis desde o início da pandemia, com a sua capital, Nova Deli, a registar um novo recorde de infeções, 8.593 casos em 24 horas. E as autoridades projetam que este fim de semana, com a realização do festival Diwali, conhecido como Festival das Luzes, a cidade passe a registar 12 mil infeções diárias até final de novembro.

Uma das tradições desta festa é o lançamento de foguetes (apesar de ter sido proibido pelas autoridades), que pode piorar os já perigosos níveis de poluição.

É esperado um pico de doenças pulmonares, algo que pode tornar-se catastrófico, uma vez que as unidades de cuidados intensivos dos hospitais estão completamente sobrelotadas.

«O Diwali é um evento altamente contagioso e o público não parece compreender o perigo», disse um elemento sénior do departamento de saúde de Nova Deli à Al Jazeera.

 

Europa a bater recordes

O Velho Continente superou esta semana as 300 mil mortes por covid-19, num contexto em que vários países tentam de tudo para travar o crescente número de infeções.

O Reino Unido, que na quarta-feira se tornou o primeiro país europeu com mais de 50 mil mortes, registou esta semana um novo máximo diário de infetados, com mais de 33 mil casos. O aumento em flecha (mais 45% dos casos do que os registados no dia anterior), deve-se no entanto à nova política de testagem em massa que tem vindo a ser aplicada no país.

Já Itália tornou-se o quarto país na Europa a superar o milhão de contagiados (depois de França, Espanha e Reino Unido). As autoridades de saúde alertaram que as unidades de cuidados intensivos já ultrapassaram os seus limites e podem estar à beira do colapso.

O presidente da Federação Nacional dos Médicos italiano, Filippo Anelli, advertiu que, caso a curva de contágios continue a subir, o Governo terá de impor novas medidas restritivas, apesar de rejeitar um novo confinamento geral