Internacional

Vacina da Pfizer com 95% de eficácia contra o novo coronavírus nos resultados finais

A vacina apresentou uma eficácia de 94% em idosos, um dos grupos considerados mais vulneráveis à doença. 

A farmacêutica Pfizer anunciou, esta quarta-feira, que a fase três do ensaio clínico da vacina contra a covid-19, que incluiu quase 44 mil voluntários, terminou e disse que os resultados finais foram ainda mais positivos do que os especulados no final dos testes preliminares. Os resultados obtidos mostraram que a vacina tem uma eficácia de 95% contra o novo coronavírus. 

A vacina da empresa norte-americana torna-se assim a empresa com melhores resultados, ultrapassando a vacina da empresa Moderna, que apresentou 94.5% de eficácia contra a covid-19. "Os resultados marcam um importante avanço no caminho histórico de oito meses para concluir uma vacina capaz de acabar com esta pandemia devastadora”, diz Albert Bourla, chefe executivo da Pfizer, através de um comunicado. 

A Pfizer afirma ainda que os ensaios clínicos não mostraram efeitos secundários graves nos voluntários. Os efeitos secundários mais comuns são fadiga, com 3.7% dos voluntários a queixarem-se de cansaço após a segunda dose. 2% afirmam ter sentido fortes dores de cabeça. 

Segundo os investigadores, os resultados mostram que a vacina preveniu o desenvolvimento de casos de gravidade média e séria em voluntários que foram infetados com covid-19. Além disso, apresentou uma eficácia de 94% em idosos, um dos grupos considerados mais vulneráveis à doença. 

A ser autorizado pela Food and Drug Administration, a farmacêutica pretende produzir cerca de 50 milhões de doses da vacina este ano e cerca de 1,3 mil milhões até final de 2021.