Politica

Costa diz que UE quer "harmonizar" regras de circulação entre países no Natal

Não há ainda decisões definitivas, pois não é possível antecipar qual será a situação epidemiológica de cada estado-membro na época festiva.

O primeiro-ministro adiantou, esta quinta-feira, que os Estados-membros da União Europeia estão "todos a convergir para o mesmo tipo de medidas para travar a covid-19".

Em declarações após a reunião extraordinária do Conselho Europeu para determinar as regras de circulação entre países na época do Natal, António Costa falou da vontade de "harmonizar" as posições dos estados-membros, mas disse que ainda não há decisão definitivas. “Ainda é cedo para antecipar" a situação epidemiológica que cada país enfrentará na altura, explicou.

Na mesma reunião do Conselho Europeu foi também anunciada, pela Comissão Europeia, a "encomenda de 100 milhões de euros de testes rápidos", avançou o primeiro-ministro.

Em relação às vacinas contra a covid-19, foram já assinados quatro contratos de aquisição com farmacêuticas, havendo outros três em fase de negociação, adiantou ainda, reiterando o que já tinha afirmado sobre a estratégia da UE, que passa pela implementação de um programa comum. As primeiras autorizações condicionais das vacinas devem surgir "em dezembro", afirmou, explicando que as vacinas vão depois ser "distribuídas segundo uma grelha definida pela UE tendo em conta a população de cada Estado-membro".

Questionado sobre o impasse do Orçamento da União Europeia, Eslovénia, Hungria e Polónia ameaçam vetar o acordo, o primeiro-ministro sublinhou a importância de um rápido desbloqueio, pois Portugal tem urgência em receber a referida ‘bazuca’ financeira.

"Ao mesmo tempo que temos de combater a pandemia temos de responder à grave crise económica e mundial que a pandemia gerou", sublinhou.