Politica

"Nunca na vida um Governo meu se colocará nas mãos do Chega", afirma Rio

André Ventura mostrou-se satisfeiro com a aproximação entre o PSD e o Chega.

Rui Rio respondeu às críticas internas devido à aproximação ao Chega. O presidente do partido, em entrevista à TVI, garantiu que se as eleições fossem amanhã seria “impossível” o PSD fazer um Governo com a participação da extrema-esquerda ou da extrema-direita. “Num Governo do PSD nunca entraria o PCP, o BE e o Chega (...) “Nunca na vida um Governo meu se colocará nas mãos do Chega”, afirmou.

Rui Rio tem sido criticado internamente por causa do acordo assinado nos Açores. Nesta entrevista, o líder do partido voltou a garantir que “não há qualquer acordo nacional entre o PSD e o Chega” e que o compromisso assumido nos Açores foi uma exigência do Representante da República, Pedro Catarino. 

Já André Ventura diz ter ficado com “a impressão de que Rui Rio aproximou-se do Chega em muitas das considerações políticas, por exemplo a de que este Governo não vai chegar ao fim”.

O líder do Chega realçou que “questões que há um ano eram tidas como irrelevantes, como a subsidiodependência ou redução de deputados”, entraram no discurso do maior partido da oposição.

André Ventura, em declarações à agência Lusa, mostrou-se satisfeito porque “há um bom caminho trilhado que é de aproximação ao Chega”. 

Nas redes sociais, André Ventura escreveu, em resposta à entrevista, que o Chega não ficará “nas mãos do PSD ou do PS. Deixem os portugueses falar”.