Internacional

China deteta surtos em três cidades e toma medidas drásticas

Milhões de pessoas estão agora a ser testadas.

As cidades de Tianjin, Xangai e Manzhouli foram palco de vários novos casos de covid-19, transmitidos localmente. Em resposta, o Governo chinês está a testar milhões de cidadãos, a impor bloqueios e a encerrar escolas.

As autoridades chinesas temem que, com a descida das temperaturas, o país volte a ter grandes surtos do novo coronavírus. Em causa está uma alegada ligação entre os climas frios e o maior alastramento do vírus, defendida por especialistas e funcionários do Governo chinês.

Em Xangai, foram reportados pela Comissão Nacional de Saúde chinesa dois novos casos, elevando o total para sete, desde sexta-feira.

No domingo, após a deteção de um caso positivo num funcionário do aeroporto internacional de Pudong, todos os funcionários do aeroporto foram testados, num total de mais 17.719 amostras. A situação causou o caos, levando a aglomerações de centenas de pessoas que esperavam para ser testadas, na madrugada de segunda-feira.

Em Tianjin, foram realizados mais de 2,2 milhões de testes após terem sido descobertos cinco casos de transmissão local na semana passada. Em Manzhouli, após a deteção de dois casos positivos, toda a população da cidade está a ser testada, ou seja mais de 200 mil pessoas.

O aparecimento de novos casos de transmissão local na China tem assim sido combatido com agressivas medidas, como o fecho de todas as escolas e locais públicos, proibindo também outros tipos de ajuntamentos.