Politica

CDS pede audição urgente do responsável pelo plano de vacinação

Partido acusa Governo de prestar informações contraditórias em relação à estratégia e à logística da futura vacinação.

O CDS-PP requereu, esta sexta-feira, uma audição parlamentar urgente com o responsável pela task force que vai delinear o plano de vacinação contra a covid-19 em Portugal, o ex-secretário de Estado da Saúde, Francisco Ramos.

"Em Portugal ainda não se conhece qualquer plano de vacinação e só agora foi criada uma task force que deverá estruturar todo este processo", sublinha a bancada parlamentar democrata-cristã no requerimento endereçado à presidente da Comissão Parlamentar de Saúde.

Para o partido, a task force "tem uma missão crítica e fundamental", mas a operação “além de extremamente complexa, é uma verdadeira corrida contra o tempo". Situação que se agrava pelo facto de as informações existentes serem "escassas, avulsas e contraditórias".

É nesse sentido, que o partido, liderado por Francisco Rodrigues dos Santos, pede "uma audição, com caráter de urgência, do Dr. Francisco Ramos", "para prestar todos os esclarecimentos sobre o plano de vacinação contra a covid-19".

O CDS explica ainda, no seu pedido, que "está apreensivo relativamente a esta matéria, mais ainda porque existe a possibilidade de que as farmacêuticas que estão a produzir as vacinas contra a covid-19 tenham reservas quanto ao envio de doses para países que não tenham os sistemas de delivery bem montados".

Portugal "ainda não tem" ou, "pelo menos, não fez prova disso", sublinha o CDS, acusando o Governo de dar informações contraditórias, quando é "fundamental que o Parlamento esteja devidamente informado", advoga ainda o CDS.

Sublinhe-se que a task force, que vai coordenar desde a estratégia de vacinação à operação logística, tem um mês para definir todo o processo. Segundo o despacho publicado, esta sexta-feira, em Diário da República, a equipa tem um mandato de seis meses, renovável em função do progresso da operacionalização.