Opiniao

Declaração pública por razões de transparência e ética

Por Manuela Eanes

Sempre, em toda a minha vida, agi de acordo com os valores morais de dignidade, família, gratidão e honra. E sempre, também, tenho pautado a minha vida por afetos e emoções. Nestas eleições presidenciais, perante o dilema moral de apoiar Ana Gomes – a quem me ligam laços de amizade e admiração – ou Marcelo Rebelo de Sousa – a quem, há muito, dei a minha palavra de apoio – sinto ser meu dever, por razões de transparência e ética, declarar publicamente o seguinte:

1. Conheço a Ana Gomes há mais de 50 anos. Foi uma das jovens que se destacou na Colónia de Férias, em Albufeira, para jovens universitárias, organizada pelo Instituto de Obras Sociais, do qual fui diretora durante três anos. Trabalhou, depois, com muita competência e empenho, na área de Relações Internacionais da Presidência da República, assessorando o meu marido. 

Acompanhou-nos, oficialmente, com grande profissionalismo, em todas as visitas ao estrangeiro e empenhou-se, com toda a dedicação, na questão de Timor, que, para o meu marido, foi sempre um projeto nacional. 

A mim, apoiou-me, também, com afeto e profissionalismo, em diversas conferências internacionais, como, por exemplo, numa intervenção que proferi sobre o problema da droga (de que há 40 anos pouco se falava), a convite de Nancy Reagan, e numa cimeira das Nações Unidas, onde também nos acompanhou Graça Machel – de quem, até hoje, sou muito amiga. Mais tarde, partilhou, com todo o interesse, o crescimento dos projetos do Instituto de Apoio à Criança (IAC) e esteve a meu lado, em Bruxelas, quando recebi o Prémio Cidadã Europeia de Mérito. 

Ana Gomes desenvolveu um trabalho de excelência como eurodeputada e teve uma carreira diplomática de sucesso.
Tem sido uma das poucas vozes que, com muita coragem, denuncia a corrupção, a ganância do dinheiro e do poder, e os paraísos fiscais. 

Todos sabem que é uma acérrima defensora dos Direitos Humanos. 

Como amiga, contei sempre com o seu apoio, em momentos difíceis. E partilhei, sempre, também, tanto as suas vitórias como os seus momentos de dor, em que se inclui a perda recente do seu marido, o Embaixador António Franco, um dos nossos grandes embaixadores, com sentido de Estado.

2. O Presidente Marcelo Rebelo de Sousa tem tido um trabalho dinâmico, com espírito solidário e sentido de Estado, ao serviço do país. Tem conseguido uma boa relação institucional e tem chamado a atenção para os mais graves problemas sociais, como, por exemplo, o das pessoas sem-abrigo. Com genuína afetividade, tem acompanhado os que sofrem os problemas mais dolorosos e tem pacificado a sociedade.

A nível internacional, o Presidente Marcelo Rebelo de Sousa é um Chefe de Estado considerado e as suas intervenções têm sempre a marca da sua cultura política e da defesa dos grandes objetivos nacionais. 

Com o meu marido e comigo tem tido diversas demonstrações da maior estima, e não esqueço igualmente – porque é preciso ter memória – que, quando era comentador político, apoiou sempre as iniciativas do IAC em prol da Defesa da Criança. E, recentemente, esteve presente na inauguração das novas instalações do IAC – a realização de um sonho antigo de juntar, no mesmo edifício, todos os nossos projetos inovadores.

3. Sempre incentivei o Presidente Marcelo Rebelo de Sousa a recandidatar-se, prometendo-lhe o meu apoio. Não sabia então que, mais tarde, a Ana Gomes viria também a candidatar-se.
Procuro ser uma cidadã ativa e, para mim, a política é uma causa nobre, de serviço a Portugal e às pessoas, para que, na defesa do Bem Comum, possamos ter um país mais desenvolvido e com menos desigualdades sociais.

Assim, sinto que tenho o dever moral de partilhar que me senti perante um dilema entre a amizade e a honra que a palavra dada implica. No entanto, perante ambos estes valores, a honra impera. 

Quero, pois, anunciar, com toda a transparência, numa declaração pública, que apoio o Prof. Marcelo Rebelo de Sousa, por todas as razões enunciadas, não sendo a menor delas o facto de ter empenhado a minha palavra.